No apartamento, na sala comercial, no escritório ou em casa, o verde tem sempre o seu cantinho reservado pelos amantes e profissionais da decoração de interiores. Mas, em tempos de crise, de dias cheios de tarefas, de pouco espaço… Será que ainda é viável manter uma chama de vida dentro de casa? A resposta é sim, com certeza. Os especialistas em arquitetura de luxo, Lídia Branquinho e Marcus Leite, sócios e proprietários do Stúdio Ambo, escritório especializado no planejamento, execução e acompanhamento de obras, destacam que essa não só é uma possibilidade, como também é uma tendência.

   A dupla aponta os jardins verticais como um plus da decoração. Inspiração em grandes mostras mundiais, esse tipo de jardim ganhou espaço não só por sua inusitada beleza, como também por conseguir agregar, em um só espaço, diversas vantagens de uma decoração planejada. É notável, por exemplo, que conseguimos, ao apostar em uma parede de plantas, economizar espaço sem abrir mão de um grande e impactante recurso do décor. Aliás, esse pode ser o diferencial de um ambiente pequeno, como nos apartamentos de metragem reduzida, comuns em bairros como Águas Claras, Lago Norte e Noroeste.

Entre outras vantagens podemos citar ainda que os jardins verticais são versáteis e democráticos, podendo preencher espaços em diferentes ambientes, desde a cozinha, sala de estar, sala de jantar, varandas e até mesmo banheiros, proporcionando benefícios como menor propagação de ruídos internos; redução de gasto energético; purificação do ar, uma vez que podem atuar como filtros e também isolamento térmico nos ambientes.

Para quem sempre sonhou com a ideia, mas teme pelos custos de manutenção, que vale lembrar, com a tecnologia e desenvolvimento do segmento, estão cada vez mais baixos, Lídia e Marcus ensinam um truque que torna a solução ainda mais atraente: apostar em um jardim artificial, que reduz não só os custos com instalação, como com a manutenção, uma vez que a limpeza é feita com pano seco, a irrigação não é necessária, mas a beleza e elegância são as mesmas. “Cuidar acaba sendo uma tarefa muito mais simples e as possibilidades não são limitadas, uma vez que dá para explorar plantas secas ou artificiais”, ensinam os arquitetos.