Conhecida como miocardite, a inflamação do músculo do coração, chamado de miocárdio, pode ter inúmeras causas, sendo as infecções virais a principal delas. Pelo menos 20 tipos de vírus já foram identificados como potenciais motivadores da miocardite viral, como o Influenza, o adenovírus, e até mesmo os vírus da febre amarela e da dengue.

Segundo o cardiologista Dr. Renato David, a apresentação clínica clássica da miocardite é a ocorrência de cansaço, dor torácica, arritmias cardíacas e mal-estar ocorridos em indivíduos jovens ou sem doenças conhecidas, e história recente de infecções virais. “Exames complementares como marcadores cardíacos, ecocardiograma e ressonância magnética do coração, junto com o quadro clínico do paciente, podem confirmar a inflamação do miocárdio e o diagnóstico de miocardite”, completa.

 

O tratamento da miocardite viral depende da gravidade, sendo necessário acompanhamento médico para controle da doença. Em geral, a maioria dos pacientes se recuperam do processo inflamatório sem sequelas. No entanto, em alguns casos, a inflamação pode se prolongar e haver perda variável da função ventricular. Por isso, a principal recomendação é: se for acometido por um quadro viral, cuide para não confundir os sintomas da miocardite com os da virose que a provoca. Caso as sensações de cansaço e mal-estar se prolonguem, ou apresente falta de ar e arritmias cardíacas, procure o seu médico cardiologista para uma melhor avaliação.