A Artefacto – reconhecida como referência em decoração e design – abre as portas, no próximo dia 02 de abril, para apresentar a mostra Decor+Cinema. São doze ambientes assinados por renomados arquitetos e designers de interiores, além do showroom. Nesta edição, estará em voga a sintonia entre a magia e o entretenimento proporcionados pelo cinema, com questões contemporâneas e do cotidiano. O universo cinematográfico e suas especificidades inspiraram os profissionais a criarem espaços intimistas e com personalidade, levando em consideração toda a expertise Artefacto. Foram homenageados títulos, temas, personagens, diretores, histórias e cenas antológicas, com ambientes criativos que relembram momentos dos longa-metragens.


Entre a emoção do romance, a alegria da comédia ou o suspense do terror, os espaços levam a assinatura de um time de profissionais: George e Julia Zardo, Maai Arquitetos Associados (Arnaldo, Isabel e Mônica), Juliana Leão, Cybele Barbosa, Studio Gontijo (Gabriela Gontijo, Plínio Barros e Mariana Hummel), Yeda Garcia, Dora e Giovanini Lettieri, Tatiana Estrela e Carla Ramos, Larissa Dias, André Alf, Miguel Gustavo e Sérgio Borges. Os profissionais prometem, com a elegância e sofisticação de sempre, apresentar ambientes que retratem diferentes momentos do cinema e sua história. É intrínseco da indústria cinematográfica, assim como na arquitetura, retratar o lifestyle de diferentes sociedades, gerações e lugares, mas também de registrar épocas.
A mostra Artefacto traz o suprassumo do cinema, com uma seleção ‘Premium’ de filmes, entre os quais: Bonnie e Clyde, Carmem Miranda, Tempos Modernos, Miranda, Cine Regina, Almodóvar, The Great Gatsby, James Bond, Bonequinha de Luxo, La La Land, Marilyn Monroe e Lobo de Wall Street. Se, para os irmãos Louis e Auguste Lumière, conhecidos como pais do cinema, era algo fadado ao fracasso, refletido na famigerada frase de Louis: “O cinema é uma invenção sem futuro”, a história mostra, mais de 120 anos depois, que, independentemente do estilo, narrativa ou gênero, seja de ficção ou de cunho documental, o cinema é parte da vida das pessoas, marca momentos e traz lembranças.

E, para a Mostra Artefacto 2018, a estética ‘cinéfila’ vai compartilhar o estilo de instigantes personagens, harmonizando o lado criativo e artístico da sétima arte com os conceitos da marca, realçando a elegância entre o design e qualidade das peças Artefacto.

Ambientes:
Tempos Modernos – Charles Chaplin, por Juliana Leão
A arquiteta Juliana Leão quis homenagear um gênio do cinema mudo: Charles Chaplin. O fato de passar uma mensagem sem precisar dizer uma palavra despertou seu interesse pela mistura de estilos: clássico do cinema, com móveis modernos e toques industriais. Composto por sala de estar e de jantar, com 50m2, o destaque é para a mesa de jantar Halston, que tem um tampo único de quatro metros em madeira com microtextura. Com acabamento rosé, é sustentada por pés geométricos, ideal para espaços amplos. Os primeiros filmes da história do cinema eram todos em preto e branco. Esse foi o ponto de partida para escolha do mobiliário e acabamentos. E ficou bem claro no ambiente “Tempos Modernos”: totalmente monocromático, como no filme, e com móveis modernos e atuais.

Carmem Miranda, por Maai Arquitetos Associados (Arnaldo, Isabel e Mônica)
Os arquitetos Arnaldo, Isabel e Mônica, da Maai Arquitetos Associados, resolveram homenagear a cantora e atriz Carmem Miranda, que fez sucesso entre 1930 a 1950. Carmen participou de 14 filmes no exterior e foi a primeira artista sul-americana a ser homenageada com uma estrela na calçada da fama. Eles buscaram um ícone chique e elegante, que também foi reconhecido fora do país. Remetendo aos materiais utilizados na época e fazendo uma releitura, trabalharam as paredes em painéis de madeira Pau Ferro. Tons que vão do cinza, fendi ao verde bandeira marcam o espaço que recebe com elegância os mobiliários Artefacto. Com 100m2, ambiente é composto por salas de estar e jantar, além de bar e quarto. As forrações de parede em lâminas de madeira pau ferro e o teto com pintura em pau ferro são os pontos mais marcantes do projeto, que, devidamente iluminados, realçam todo o mobiliário Artefacto.

Lobo de Wall Street, por Sérgio Borges
Fã da cidade de Nova York, o arquiteto Sérgio Borges escolheu o filme O Lobo de Wall Street, devido à atmosfera da cidade e ao diretor Martin Scorsese. Por possuir muitos clientes na área do mercado de investimentos, ele é especializado em criar ambientes que transmitem uma sensação de segurança e tradição, com um toque arrojado e inusitado. Assim, ele buscou trabalhar com materiais sóbrios, como a madeira e o aço corten, contrapondo-se com elementos nada comportados, como o vidro, a transparência e luminárias contínuas. Especializado em arquitetura corporativa, optou por fazer um ambiente que atenda essa área. O espaço de 60m2 representa uma sala de um executivo, com área de estar, mesa de trabalho e mesa de reunião.

Almodóvar, por Yeda Garcia.
A arquiteta Yeda Garcia acredita que harmonia e equilíbrio são traços de seu trabalho. Sendo assim, ela optou por montar um cenário inspirados nas obras do cineasta espanhol Pedro Almodóvar. O uso da cor associada a formas marcantes do mobiliário são o grande destaque do ambiente, que tem 72m2 e é composto de sala de estar, quarto e banheiro. Cores ousadas e marcantes estão presentes na criação.

Marilyn Monroe, por Miguel Gustavo
O arquiteto Miguel Gustavo pensou em um ambiente clean e sofisticado, perfeito para combinar com a imponente Marilyn Monroe. Ele utilizou tons de rosa para que o espaço tivesse o clima da homenageada. Espelhos, iluminação impactante e mobiliário exclusivo dão o toque de glamour e sofisticação necessários. Obras de arte como esculturas e fotos também foram usadas para transmitir a sensação romântica e grandiosa de Marilyn Monroe.

La La Land, por André Alf
O arquiteto André Alf escolheu o filme La La Land por considerá-lo leve, criativo e romântico, além de ser um musical. Procurando projetar um ambiente confortável e transmitir a sensação de estar em sua própria casa, usou um telão grande e um sofá com muito conforto, voltado para a família usar e curtir. Por fim, detalhes de luz dando charme e quadros desenvolvidos exclusivamente para o ambiente, que mede 40m2.

Miranda, por Cybele Barbosa
A escolha da personagem Miranda se deu pelo papel icônico de Meryl Streep na película O diabo veste Prada. Miranda é uma mulher bem sucedida e de personalidade marcante. O ambiente possui 70m2 e é composto de sala, quarto e copa. O destaque vai para a composição de cores, materiais e texturas, que fazem uma releitura do clássico com uma visão contemporânea.

Spectre 007 (James Bond), por Tatiana Estrela e Carla Ramos
As arquitetas escolheram a sofisticação do agente 007 para inspirar o ambiente de 70m2, que conta com um escritório, um quarto e uma sala de jantar. Os filmes de 007 são quase guias de viagem para cinéfilos. Difícil é dar conta de tanta paisagem bonita durante as aventuras do agente secreto. O filme inicia-se no México, no dia dos Mortos, e tem algumas tomadas na cidade de Roma. Elas usaram, portanto, a referência do quadro de caveira para remeter a cena no dia dos “Muertos “, e uma artista plástica de Brasília reproduziu nas paredes a planta baixa de uma Basílica e da praça São Pedro no Vaticano , onde algumas das cenas do filme é rodada. Todo o ambiente remete a luxo e a sofisticação, de forma masculina e sem excessos . Por fim, colocaram um piano no ambiente para fazer alusão a música que faz parte de toda abertura dos filmes do agente mais famoso do mundo .


Bonequinha de Luxo, por Larissa Dias
O quarto de 38m2 feito por Larissa é um ambiente feminino, cheio de detalhes delicados. Ele possui uma forma limpa, com linguagem simples e pura. Os móveis têm desenhos mais orgânicos, a inspiração é urbana, com muitos tons de cinza. Ele transmite aconchego e requinte, com painéis de madeira ripada na paredes e teto para quebrar a frieza da cor e acolher. A cor rose foi usada em alguns pontos para representar a delicadeza e a feminilidade da personagem, interpretada por Audrey Hepburn.

Cine Regina, por Studio Gontijo
A inspiração do espaço foi o antigo cinema que pertenceu à família da arquiteta Gabriela Gontijo, na cidade de Bom Despacho, em Minas Gerais. Hoje desativado, o então Cine Regina – seu avô, proprietário, escolheu esse nome em homenagem a uma de suas filhas, Regina – era o único cinema que a cidade teve e, certamente, levou muitas alegrias aos seus moradores. O Cine Regina, que lembra o filme ‘Cine Paradiso’, é motivo de orgulho e de muitas lembranças boas. Alguns elementos originais dele foram trazidos ao ambiente de 52m2. Além do excepcional mobiliário da Artefacto, o local conta com os seguintes elementos originais: letreiro, máquina de projeção, roleta, cadeiras de madeira, lentes, caixas com filmes, quadros de energia, certificado de censura, etc. O espaço é um ‘lounge’ de cinema, uma sala de reprodução de filmes.

Bonnie e Clyde, por George e Júlia Zardo
O Filme Bonnie & Clyde foi feito nos anos 60, e contava a vida de um casal de criminosos . Exibiu nas telas todo o charme daquele período que vivia o auge do estilo Art Decó. Não é apenas um filme tradicional de gângsters, é intenso e viciante. Pensando nisso, os arquitetos montaram um espaço perfeito para ver um filme, beber e conversar com os amigos – baseado no glamour dos anos 20. Eles projetaram um ambiente charmoso e intimista, dividido em Home Theater, sala de estar, mesa de jantar e bar. Eles optaram por cores mais escuras e iluminação dramática, moderada e aconchegante.

The Great Gatsby, por Dora e Giovanini Lettieri
O filme escolhido foi The Great Gatsby. O contexto histórico é marcado pelos embalos do ritmo frenético dos anos 20, do jazz e pela inacessibilidade ao sonho americano, além de outros aspectos que também devem ser considerados ao analisar a obra, tais como: no início dos anos 1920, há o destaque da mulher já no espaço público, fumando, dançando, sempre em movimento, evidenciando a ideia de maior independência e atividade. Na decoração, as formas geométricas estão presentes até mesmo nos móveis. O mobiliário tem geometria e design abstrato. Os objetos de decoração têm elementos de bronze, espelhos e prata. O conceito do projeto busca trazer aconchego e sofisticação. Um grande pendente de cristal em posição de destaque logo na entrada do quarto. Os acabamentos são luxuosos dando um tom de requinte e elegância. As cores neutras compõem um ambiente de relaxamento, de 41m2, com detalhes clássicos.

Serviço: Artefacto: mostra Decor+Cinema
Endereço: St. de Habitações Individuais Sul QI 21 Bloco B – Lago Sul, Brasília – DF, 71655-560
Inauguração: 2 de abril
Horário: das 10h às 19:00
Telefone: (61) 2196-4250