A música barroca, que teve como seu grande expoente o eterno compositor Johann Sebastian Bach (1685-1750), caracterizou-se pelo extenso uso da polifonia e do contraponto. Dando ênfase a esta música tocante e atemporal, o grupo brasiliense Estúdio Barroco pesquisou e descobriu  composições feitas por mulheres deste período, vindo assim a difundir a música barroca originária da criatividade feminina.

Criado na capital federal, o Estúdio Barroco é um quarteto formado, em sua maioria, por professores da Escola de Música de Brasília e por músicos autônomos de renome nacional e que atua desde 2004.

Ana Cecília Tavares (cravo), André Vidal (canto), Cecília Aprigliano (viola da gamba) e Sueli Helena (flauta doce) vão lançar o CD Damas Virtuosas na terça-feira (21/08), às 21h, no Clube do Choro de Brasília (Eixo Monumental) e na quinta-feira (23/08), às 21h, no Teatro da Escola de Música de Brasília (602 Sul). O concerto será apresentado dentro da série Concerta EMB. Não recomendado para menores de 14 anos. Os CDs estarão disponíveis para venda nos intervalos das apresentações ao preço de R$ 20.

Em Damas Virtuosas, o Estúdio Barroco faz uma releitura de composições de mulheres do período que perpassou os séculos 17 e 18. Uma verdadeira ode às compositoras ainda poucoreconhecidas e com poucos registros na música erudita.

O repertório conta com belas composições das musicistas Julie Pinel (1710 – 1737), Elisabeth Jacquet de la Guerre (1665 – 1729), Antonia Bembo (1640  –  1720), Anna Amalia Vonn Preussen (1739 – 1757) e Mary Dering (1629 – 1704).

“As composições são frutos do trabalho de pesquisa do cantor André Vidal. Foram encontradas através de bibliotecas de partituras, todas originais. Hoje, temos facilidade em acessar estas coleções pela própria internet”, destaca a musicista e integrante do grupo, Cecília Aprigliano.

E são estas partituras originais que foram gravadas no álbum Damas Virtuosas. A Gravação do CD Damas Virtuosas tem o patrocínio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal e do FAC – Fundo de Apoio à Cultura.

Mulheres do Barroco

O material é de pouco registro na música erudita, mas de muito requinte nas composições assinadas por elas.  Mulheres compositoras, expressões do período Barroco. Motivado por estas partituras de pouco acesso, o quarteto decidiu difundir a música barroca e a criatividade feminina deste período da história da humanidade. 

“No período Barroco (séculos 17 e 18), a participação feminina no mundo das artes estava restrita ao âmbito doméstico. Era comum ter senhoras musicalizadas, que sabiam tocar instrumentos e cantar. No entanto, poucas ultrapassaram a barreira do universo privado e chegaram a mostrar seu trabalho publicamente, como Francesca Caccini. Outras, por outro lado, só tiveram o talento revelado anos depois com a ajuda de pesquisadores”, destaca Cecília Aprigliano.

O resultado revela e traz para as luzes da ribalta estas mulheres, além de representar um material de extrema valia para a música universal e projetar a riqueza da produção de música erudita no Distrito Federal.

 Conheça o Estúdio Barroco

Sueli Helena de Miranda – Flauta Doce

Por meio do programa Bolsa Virtuose do Ministério da Cultura do Brasil, Sueli Helena de Miranda aperfeiçoou‐se em flauta doce no Conservatório Real de Bruxelas (Bélgica) com o flautista Bart Coen. Na mesma ocasião, estudou interpretação da música italiana com o flautista e  pesquisador Peter van Heyghen. Possui também formação em flauta transversal, tendo sido Odette Ernest Dias sua principal orientadora. Graduou‐se em Música pela Universidade Federal de Uberlândia (MG). Em 2011, participou do 43º Curso Internacional de Música Antiga de Urbino (Itália), onde estudou com o flautista HanTol. Em 2013, participou como artista convidada, juntamente com o Estúdio Barroco, da IV Semana de Música Antiga da UFMG. Entre 1994 e 2014 atuou como professora de flauta doce na Escola de Música de Brasília.Gravou com o grupo Estúdio Barroco um primeiro CD em 2007 e o segundo em 2017.

André Vidal – Canto

Mestre pela Royal Academyof Music de Londres, André Vidal especializou‐se em Música de Câmara e Música Antiga com Glenville Hargreaves, Jonathan Papp e Ian Partridge. Foi premiado no II Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão, em 2001, e no Helen Eames Prize para intérpretes de música Barroca, em 1998, em Londres. Cantou em The Rake’s Progress (Salem) no Teatro Municipal de São Paulo, sob direção de Jorge Takla e Jamil Maluf; Requiem, de Mozart, com a Sinfônica  de Sergipe e regência de G.Mannis; e a Sinfonia nº 9, de Beethoven, com a Sinfônica de Minas Gerais sob regência de R. Tibiriçá. Dedica‐se também à composição, tendo suas peças apresentadas no Brasil e no exterior, e publicadas nos EUA pela CantusQuercus Press. Leciona Canto Erudito na Escola de Música de Brasília e coordena o grupo PerSonare.

Cecília Aprigliano – Viola de Gamba

Cecilia Aprigliano nasceu no Rio de Janeiro. Desde 1993 mora em Brasília. Em 1995 integrou o quadro de professores da Escola de Música de Brasília onde criou o curso de viola da gamba a nível básico e técnico. Atuou como professora em quatro Cursos Internacionais de Verão do CEP/EMB. Estudou em Nova Iorque com a gambista Judith Davidoff na Universidade de Columbia/NY e obteve os títulos de Master of Arts e Master of Education in Music. Fez especialização com a gambista Jane Hershey (2001/Boston) e com a gambista Marianne Müller (1997/Lyon). Desde 2004 realiza  colaborações com outras áreas das artes atraves de  com performances envolvendo artes visuais e dança.  Apresentou a performance O Livro de Fundo em Brasília, Fortaleza, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Em 2017 o concerto/performance Solitude.. Participa de series musicais no CCBB do Rio de Janeiro e Brasília desde 1997. Integrou a orquestra barroca da Opera Orfeu de Monteverdi no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 2007 sob a regência do cravista Marcelo Fagerlande.  Em 2008 participou como palestrante da V Semana do Cravo da UFRJ. Por quatro anos consecutivos organizou a Semana da Viola da Gamba do CEP/ Escola de Música de Brasilia. De 2010 a 2014 ministrou aulas de viola da gamba na Mostra de Instrumentos Antigos da UFPE. Em 2014 e em 2018 juntamente com o tenor Andre Vidal, foi responsável pela direção musical da montagem Barca di Venezia Per Padova de Adriano Banchieri em temporada no CCBB/Brasília e em itinerância no SESC/Brasilia.  Integrante fundadora do quarteto Estúdio Barroco desde 2004. Atualmente é presidente da Associação Brasileira de Viola da Gamba.

Ana Cecilia Tavares – Cravo

Natural do Rio de Janeiro, é radicada em Brasília. Mestre em cravo pela UFRJ, fez especialização na França com a cravista Huguette Dreyfus no ciclo de Perfectionnement em cravo no Conservatoire national de Région de Rueil Malmaison, tendo obtido os prêmios Prix d’Excellence e Prix de Virtuosité. Vencedora do VI Prêmio Eldorado de Música em São Paulo, gravou disco solo comobras de Marchand e Bach pelo selo Eldorado. Gravou ainda álbuns camerísticos com o Estúdio Barroco e com o Trio Barroco de Brasília e o CD para cravo soloBach/Froberger. Com o cravista Marcelo Fagerlande, lançou gravação da obra A Arteda Fuga, de J.S. Bach, em versão para dois cravos (2010), e o CD Originais e Transcrições (2017). Foi professora em Cursos Internacionais de Verão da Escola de Música de Brasília, deu aulas de cravo no CEP-Escola de Música de Brasília, ministrou curso de extensão naUFRJ e publicou resenha na revista francesa Revue de Musicologie.

Serviço:

Concerto de lançamento do CD Damas Virtuosas, com André Vidal (canto), Sueli Helena (flauta doce), Cecília Aprigliano (viola da gamba) e Ana Cecília Tavares (cravo)

Data: 21 de agosto (terça-feira)

Horário: 21h

Local: Clube do Choro de Brasília (Eixo Monumental)

Ingressos: R$ 15 (meia-entrada) à venda na bilheteria das 10h às 21h30, disponíveis também bilheteriadigital.com

Informações: 61-3224-0599

Não recomendado para menores de 14 anos

 

Data: 23 de agosto (quinta-feira)

Horário: 21h

Local: Teatro da Escola de Música de Brasília (602 Sul)

Ingressos: R$ 10 (meia-entrada) disponíveis em bilheteriadigital.com  

Informações: 3901-6589 e 3224-0599

Não recomendado para menores de 14 anos.